Especialidades

saber mais

Saber

Como Chegar

Marcações

FAQ

Amamentação

Como me devo alimentar durante o período de amamentação?
Existem alguns alimentos que devem ser evitados nesta fase. Peixe cru, carne mal passada, alimentos potencialmente alergénicos (como amendoins, morangos, chocolate e marisco), comidas muito condimentadas (que podem dar ao leite um sabor diferente) são alguns dos ingredientes que as mamãs devem evitar ou, pelo menos, limitar, enquanto amamentarem. Além disso, as mães devem abster-se de fumar e beber álcool e questionar sempre o médico antes de iniciarem qualquer medicação. Na lista de alimentos recomendados estão o leite, água e sumos naturais, que ajudam a estimular a produção de leite.
Até quando devo amamentar o meu bebé?
A Organização Mundial de Saúde recomenda que os bebés sejam alimentados exclusivamente com leite materno até aos seis meses de idade e que a amamentação se prolongue até ao primeiro ano.
Porque é importante que o bebé arrote depois de mamar?
Quando o bebé mama, quer seja no peito ou no biberão, é comum que se dê uma ingestão de ar. Isto acontece sobretudo com os biberões, já que o peito materno permite um encaixe praticamente perfeito com a boca do bebé. O arroto é simplesmente a libertação desse ar, surgindo por vezes acompanhado de uma pequena quantidade de leite, a regurgitação. Se o bebé estiver deitado de costas pode aspirar o leite regurgitado e asfixiar. É por isso que é importante que o bebé arrote depois de mamar. Além disso, a libertação de ar também previne as cólicas.

Febre

Devo levar o meu filho ao médico sempre que tiver febre?
Normalmente, considera-se que a criança tem febre se apresentar uma temperatura axilar superior a 37,4ºC. Mas, mais importante que a temperatura em si, o comportamento do bebé/criança é o fator determinante para avaliar a gravidade da situação. No caso de crianças com menos de um mês, qualquer febre deve ser imediatamente comunicada ao médico para que o bebé seja examinado, de modo a garantir que não se trata de uma infeção. Já no caso das crianças entre 1 e 3 meses, é aconselhado que os pais os desagasalhem um pouco, durante cerca de meia hora, e voltem a medir a febre. Se a temperatura se mantiver, é altura de falar com o médico. Para crianças a partir dos 3 meses, o indicado é que espere até 48 horas antes de recorrer ao médico – no entanto, caso a criança manifeste dificuldade em respirar, se mostre demasiado prostrada ou não consiga comer, ou caso a febre seja superior a 39 graus, deve consultar o seu médico de imediato.
O que posso fazer para ajudar o meu filho em caso de febre?
Antes de dar qualquer medicamento ao seu filho pela primeira vez, deve falar com o pediatra. Ao contrário do que se acredita, o melhor é vestir o seu filho com roupas adequadas à temperatura ambiente, não o agasalhando demasiado. A desidratação, causada pela transpiração, diarreia e vómitos, é uma das grandes consequências da febre, por isso garanta que o seu filho ingere bastantes líquidos: leite, água, sopas leves e sumos de fruta. Um banho morno também o pode ajudar.
O que são convulsões febris?
Algumas crianças podem ter convulsões febris provocadas pela subida muito rápida da temperatura. Embora seja algo assustador para os pais, devem tentar manter a calma e ajudar o bebé: é importante que lhe retirem o que ele tiver na boca, como a chupeta ou comida, e que tentem mantê-lo com a cabeça de lado, para evitar que se engasgue com saliva ou secreções. As convulsões costumam durar cerca de 20 segundos, sendo muito raro que ultrapassem os dois minutos. No entanto, caso a convulsão se prolongue para além dos quatro minutos, a criança deve ser levada de imediato às urgências. Embora seja um episódio traumático para os pais, a verdade é que, geralmente, as convulsões não deixam sequelas, sendo mais comuns antes dos dois anos e, felizmente, é raro que ocorram mais que uma vez na vida. Todas as convulsões devem ser comunicadas ao médico.

Dentição

Que cuidados devo ter com os dentes do meu bebé?
Os primeiros dentinhos do bebé exigem cuidados que devem ser tomados pelos pais. Enquanto o bebé tem apenas os dentes da frente, estes devem ser limpos com gaze embebida com água ou uma dedeira. Quando os dentes de trás nascem, é importante que se comece a usar uma escova apropriada à idade do bebé para a higienização dos mesmos. A pasta dos dentes só deve começar a ser usada a partir da erupção dos primeiros molares decíduos, por volta dos 14 meses, e com moderação, numa porção equivalente a um grão de arroz. Até lá, basta utilizar água.
O que são as cáries do biberão?
As cáries do biberão são provocadas pela exposição frequente dos dentinhos a fórmulas que contêm açúcar, como leite, papas e sumos de fruta. O contacto prolongado desses líquidos com os dentes faz com que as bactérias se acumulem em torno dos mesmos e que as primeiras cáries apareçam. Por essa razão, é importante que os pais não deixem que o bebé adormeça enquanto bebe o biberão com leite ou sumo. O ideal é que o último biberão antes de dormir seja de água. Se amamentar, limpe os dentes e gengivas do bebé após cada mamada.
O que devo fazer em caso de fratura ou perda do dente?
Caso a criança tenha um acidente e haja uma pancada nos dentes, os pais devem levá-la a um especialista o mais depressa possível. Embora se tratem de dentes de leite, o traumatismo pode afetar a futura dentição permanente. Por vezes, os danos causados pelo traumatismo não são visíveis de imediato, aparecendo apenas dois ou três dias depois, com o escurecimento do dente, o que indicia a perda de vitalidade do mesmo. No caso de fratura ou perda do dente, de leite ou permanente, os pais devem conservar o dente ou fragmento do mesmo em leite, soro fisiológico ou, no caso das crianças mais velhas, sob a língua, até chegarem ao dentista, com os devidos cuidados para que a criança não engula o dente.